Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Viajar porque sim

Paixão por viagens, escrita e fotografia

Qui | 18.07.19

Peleș, o palácio a que chamam castelo

 

Era uma vez um país, muito jovem de idade mas com uma história antiga de séculos, que tinha um rei que na verdade era um mero e pouco importante príncipe alemão, e que só era rei porque tinha sido convidado para tal. O país chama-se Roménia e o rei foi Carol I, que durante os 48 anos do seu reinado ajudou a Roménia a tornar-se independente e a modernizar-se. Entre as muitas obras que promoveu há um edifício que saltou há algum tempo para a ribalta dos destinos turísticos imperdíveis. Chamam-lhe o Castelo de Peleș.

Peles (1).jpg

 

Recorrentemente considerado, desde há alguns anos, como um dos castelos mais bonitos da Europa, Peleș não tem verdadeiramente nada de castelo – na realidade é um palácio, e um palácio fabuloso!

 

aqui falei um pouco da história da Roménia e do rei Carol I (ou Carlos, se preferirem o português), o primeiro dos apenas cinco reis da curta monarquia constitucional romena e por coincidência também aquele que ocupou esse cargo durante mais tempo.

 

Carol era um militar por vocação, de perfil austero e meticuloso como era habitual nos militares, que teve a sorte de casar com Elizabeth de Wied, uma princesa (também) alemã inteligente, culta e dedicada, que além de ter desenvolvido projectos significativos nas áreas da saúde e da educação foi uma escritora profícua, tendo produzido trabalhos de vários tipos sob o pseudónimo de Carmen Sylva (há uma foto engraçadíssima na Wikipedia que a mostra, toda ataviada de rendas e bordados, em frente a… uma máquina de escrever).

 

Não é por isso de estranhar que ao palácio que fizeram construir em Sinaia, uma localidade encostada às montanhas de Bucegi (que fazem parte dos Cárpatos), tenham chamado “castelul”, e que as suas características aliem a sensibilidade do estilo romântico ao “peso” da decoração barroca e das referências militares (com uma colecção de artefactos militares e de caça com cerca de 3600 peças, muitas delas “troféus” da vitória conquistada pelo exército romeno, liderado por Carol I, na batalha de Pleven durante a guerra russo-turca de 1877-1878 – e que levou a que meses mais tarde a Roménia conseguisse a sua independência como país, pois até então tinha estado legalmente sob o domínio do Império Otomano).

Peles (2).JPGPeles (4).JPGPeles (5).JPGPeles (6).JPG

 

Apesar de não parecer muito grande quando visto de fora, o palácio é enorme. São seis pisos com 170 divisões (entre elas, 30 casas-de-banho!) decoradas numa multiplicidade de estilos diferentes, todas sumptuosas e muitas até mesmo extravagantes.

 

Peles (7).JPGPeles (9).jpg

Peles (8).jpg

 

A maioria dos inúmeros elementos em madeira foram concebidos pelo ebanista austríaco Bernhard Ludwig. A divisão mais conhecida, luminosa e icónica é a Sala de Honra (Holul de Onoare), forrada a painéis de madeira esculpida, com vitrais no tecto e uma maravilhosa escadinha em espiral suspensa entre andares, que parece não levar a lado nenhum…

Peles - sala de honra (1).JPGPeles - sala de honra (4).JPGPeles - sala de honra (3).JPG

Peles - sala de honra (5).jpgPeles - sala de honra (6).JPG

 

Na Sala Mare de Arme e na Sala Mică de Arme (Sala de Armas Grande e Pequena, respectivamente) está exposta a maior parte das armas que fazem parte da colecção do palácio.

Peles - Sala de armas (1).jpgPeles - Sala de armas (4).JPG

Peles - Sala de armas (3).jpg

Peles - Sala de armas (2).jpg

Peles - Sala de armas (5).jpg

 

Entre as várias outras salas particularmente fora do vulgar e excêntricas do palácio, há umas quantas que achei especialmente interessantes:

 

  • a Sala de Teatro, solarenga com as suas cadeiras e paredes forradas de tecido dourado e com frisos pintados por Klimt (supostamente, terá sido aqui que ocorreu a primeira projecção de um filme na Roménia, em 1912)

    Peles - Teatro (1).jpgPeles - Teatro (2).jpg

  • o Salonul Maur (Salão Mourisco), com uma fonte em mármore de Carrara que replica uma outra similar existente no Cairo

    Peles - Salão Mourisco (2).JPG

    Peles - Salão Mourisco (1).JPG

  • o Salonul Turcesc (Salão Turco), forrado a sedas bordadas à mão e que era usado como salão de fumo para os cavalheiros

    Peles - Salão Turco (2).jpgPeles - Salão Turco (3).jpg

    Peles - Salão Turco (1).jpg

  • o Salonul de Muzică, cujo mobiliário de teca foi oferecido a Carol I pelo Marajá de Kapurtala

    Peles - Sala de música (2).JPG

    Peles - Sala de música (1).jpg

     

  • o Quarto Rococó, onde eram alojadas as personalidades mais ilustres convidadas para o palácio

    Peles - Quarto rococó (3).jpg

    Peles - Quarto rococó (2).jpg

    Peles - Quarto rococó (1).jpg

     

  • a Suite Imperial, que foi concebida no estilo barroco austríaco em tributo (segundo consta) ao Imperador Francisco José

    Peles - Suite Imperial (2).JPG

    Peles - Suite Imperial (1).JPG

     

Os inúmeros vitrais que adornam as janelas do palácio datam na sua maioria dos séculos XV e XVII e são originários da Alemanha e da Suíça.

Peles - vitral (1).JPG

Peles - vitral (3).jpg

Peles - vitral (2).JPG

 

O Castelo de Peleș abriga ainda uma enorme e valiosíssima colecção de pintura que conta com quase duas mil obras.

 

Inaugurado em 1883, Peleș foi o palácio de Verão da família real romena até 1947, quando o rei Mihai I (Miguel em romeno) foi forçado a abdicar do trono, após o que a Roménia passou a ser uma República. No palácio, os reis acolhiam membros da realeza e artistas famosos de todo o mundo, e foi também ali que se organizaram várias reuniões importantes por alturas do início da 1ª Grande Guerra.

Peles - pátio.JPG

 

O edifício do palácio ergue-se na encosta de uma colina relvada contornada de árvores. Está rodeado por sete terraços de pedra decorados com escadarias de mármore, vasos ornamentais, fontanários e um sem-número de estátuas. Uma delas reproduz a rainha Elizabeth enquanto outra, quase em frente à entrada principal, eterniza para a posteridade o rei Carol I em traje e pose marcial.

Peles - terraços (2).JPG

Peles - terraços (1).JPG

Peles - estátua da Rainha Elisabeta.jpgPeles - estátua do rei Carol I.jpg

 

A propriedade onde foi construído o palácio é um parque enorme e muito bonito onde se inserem jardins, pavilhões e vários outros edifícios, entre eles um outro palácio concebido para servir de residência ao sobrinho de Carol I, que mais tarde viria a ser coroado como Ferdinand I. O Castelul Pelișor parece um chalé alpino com dimensões generosas e vale também muito a pena visitá-lo. Um dia destes falarei sobre ele mais em pormenor.

Pelisor.JPG

 

Apesar de o palácio ter sido devolvido à família real em 2006, o seu recheio continua a pertencer ao Estado. Sendo um dos monumentos mais famosos e procurados da Roménia, há que contar com filas de espera irritantemente longas para o visitar, que dependem também da língua em que queremos ouvir o guia – isto porque todas as visitas são guiadas. Há duas opções de visita, que obviamente têm preços diferentes. A visita mais simples cinge-se ao piso principal e dura cerca de 45 minutos, a mais completa demora 1 hora e um quarto e inclui o piso superior. E se quiserem tirar fotografias, preparem-se também para pagar.

Peles - fila.JPG

 

Pelo seu carácter único e monumental, o Castelo de Peleș é de visita absolutamente obrigatória para quem viaja pela Roménia. Sinaia fica a cerca de 150 km de Bucareste e a deslocação faz-se perfeitamente em apenas um dia, tanto de carro como de comboio. Há também inúmeros tours com saída de Bucareste que incluem Peleș no seu roteiro.

Peles (3).JPG

 

Foi sem dúvida um dos lugares de que mais gostei em toda a viagem, pela sua enorme originalidade, e – acreditem! – é um daqueles sítios que não desilude nem um bocadinho o visitante.

 

Outros posts aqui publicados sobre a Roménia:

Um roteiro na Roménia

10 razões para visitar a Roménia

Nos passos de Vlad Dracul

Dois dias em Bucareste

O melhor segredo da Roménia

 

 

Partilhar no Pinterest

Peles, o palácio a que chamam castelo.png

 

 

2 comentários

Comentar post