Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Viajar porque sim

Paixão por viagens, escrita e fotografia

Ter | 07.06.22

9 Praias fluviais para um Verão mais fresco

 

Em Portugal temos cada vez mais e melhores praias fluviais, que são uma alternativa excelente às tradicionais praias costeiras e têm vindo a tornar-se muito populares. Algumas disponibilizam todas as comodidades que podemos querer, outras são praticamente selvagens, mas todas têm a vantagem de nos oferecer paisagens variadas em ambiente bucólico. E são sempre uma promessa de frescura para os dias mais quentes.

Entre as centenas de praias fluviais do nosso país, muitas já são famosas, outras nem tanto, e outras ainda são deliciosos segredos bem guardados. Sem ordem de preferência, estas são algumas das minhas favoritas.

 

ALAMAL

 

À beira do Tejo, na margem oposta a Belver, concelho de Gavião, a praia fluvial do Alamal tem tudo o que é preciso tanto para uns belos mergulhos como para descansar e passear: boa areia, algumas sombras, água tranquila e uma paisagem maravilhosa onde se destaca o Castelo de Belver. Tem também um passadiço de madeira que liga a praia à ponte da vila, num percurso de 2 km praticamente plano e muito agradável de fazer – sempre junto à água e entre a vegetação típica da região – oliveiras e medronheiros, madressilva, amieiros e salgueiros, fetos e canaviais – e com oportunidade para observar os corvos-marinhos que aproveitam os pequenos rochedos do rio para secarem as penas ao sol.

 

Comodidades: areia; praia vigiada; aluguer de embarcações ligeiras; balneários; parque de estacionamento; café/bar/restaurante; parque de merendas; centro de aventura com diversas actividades (rappel, slide, passeios de barco e canoa).

1 Alamal 1.jpeg

Alamal 2.jpeg

3 Alamal 3.JPG

 

ALDEIA DO MATO

 

Aninhada num dos braços que o rio Zêzere forma perto da Barragem de Castelo do Bode e aos pés da aldeia a que pediu emprestado o nome, a praia fluvial da Aldeia do Mato é espaçosa e ideal para quem gosta de férias activas. Tem uma piscina flutuante dupla, delimitada por um passadiço em madeira, e um cais de acostagem para embarcações. A partir daqui é possível fazer um inesquecível passeio de barco pela albufeira, ou simplesmente passear de canoa ou barco a remos. A aldeia espreita do cimo da colina, com as suas casas ainda maioritariamente de traça tradicional, e no ar sente-se o aroma dos pinheiros que cobrem a área circundante.

 

Comodidades: bandeira azul; praia vigiada; aluguer de embarcações ligeiras; balneários; parque de estacionamento; café/bar/restaurante; parque de merendas; parque de campismo; equipamentos para desportos náuticos (remo, canoagem, windsurf); outras actividades disponíveis: percursos pedestres, percursos BTT, orientação, tiro com arco, slide, rappel, escalada, passeios de moto 4.

4 Aldeia do Mato 1.jpg

5 Aldeia do Mato 2.jpg

6 Aldeia do Mato 3.jpg

 

FRAGAS DE SÃO SIMÃO

 

É uma das praias fluviais mais deliciosas e facilmente reconhecíveis do nosso país, e só peca por ser demasiado pequena para tanta gente que a procura no Verão. Perto da encantadora aldeia do Casal de São Simão (recomendo que visitem), a ribeira de Alge passa entre duas enormes fragas e forma uma espécie de piscina, que nesta altura do ano é represada para ficar com mais água. Os rochedos mais pequenos, polidos pela passagem das águas, são ideais para estender a toalha e apanhar sol – ou ficar à sombra, dependendo da hora do dia e da disposição. Seguindo junto à ribeira para jusante há vários spots simpáticos para descansar, e uma zona óptima para piqueniques.

 

Comodidades: praia vigiada; balneários; parque de estacionamento; café/bar/restaurante; parque de merendas; mini parque infantil; outras actividades disponíveis: slide, rappel, escalada.

7 Fragas São Simão 1.jpg

8 Fragas São Simão 2.jpg

9 Fragas São Simão 3.jpg

 

FRÓIA

 

Perto da aldeia de Oliveiras, no concelho de Proença-a-Nova, a ribeira da Fróia foi represada para criar uma praia fluvial que é em todos os aspectos surpreendente. Encaixada num pequeno vale rodeado de vegetação exuberante, a adaptação do local a espaço de lazer foi feita aproveitando e respeitando o que já existia. As antigas azenhas de xisto foram recuperadas e são um dos marcos distintivos do lugar, e a água da ribeira é tão límpida que lhe tem valido, ano após ano, a qualidade Ouro atribuída pela Quercus. É um daqueles lugares onde apetece ficar muito tempo.

 

Comodidades: praia vigiada; posto de primeiros socorros; balneários; parque de estacionamento; café/bar/restaurante; parque de merendas; parque infantil.

10 Fróia 1.jpg

12 Fróia 3.jpg

11 Fróia 2.jpg

 

LORIGA

 

Em plena serra da Estrela, mesmo ao lado da N231 e muito perto da aldeia de Loriga, esta é outra das praias fluviais mais famosas do nosso país. A ribeira desce suavemente entre rochedos arredondados, formando pequenas cascatas, e esta configuração foi aproveitada para criar várias piscinas. Como cenário de fundo, os picos da serra sucedem-se uns aos outros, ocupando o horizonte visível, e a zona à volta da praia está arborizada. É sem dúvida a praia fluvial mais encantadora da serra da Estrela.

 

Comodidades: bandeira azul; praia vigiada; posto de primeiros socorros; água potável; WC; ecoponto; parque de estacionamento; café/bar; parque de merendas; parque infantil; painéis informativos da zona e região; paragem de autocarros.

13 Loriga 1.jpg

15 Loriga 3.jpeg

14 Loriga 2.jpeg

 

MOSTEIRO

 

Fica meia dúzia de quilómetros para nordeste de Pedrógão Grande e é mais uma boa surpresa no que toca a praias fluviais. As águas da ribeira de Pera foram aproveitadas para se criar uma grande piscina e a área em volta foi aplanada e coberta com relva. Há muitas árvores, pontes que fazem a ligação entre as duas margens, um moinho de rodízio restaurado e um antigo lagar de azeite que agora funciona como bar/restaurante. O aspecto menos “selvagem”, por comparação com outras praias fluviais, é largamente compensado pelo espaço amplo, pelas excelentes condições que a praia oferece, e pela água límpida e fresca da ribeira de Pera.

 

Comodidades: relva; praia vigiada; posto de primeiros socorros; balneários; parque de estacionamento; café/bar/restaurante; parque infantil; equipamentos para actividades náuticas.

16 Mosteiro 1.jpg

18 Mosteiro 3.jpeg

17 Mosteiro 2.jpeg

 

PATACÃO

 

Esta praia é um dos melhores segredos do Ribatejo e tem uma enorme vantagem: nunca está cheia de gente. Não é vigiada, não tem quaisquer estruturas de apoio e está suficientemente longe da “civilização” – o que quer dizer que é uma praia fluvial natural, meio selvagem e muitíssimo tranquila (pelo menos a maior parte do tempo). Tem um areal extenso, muitas árvores em volta, e a água fresca do Tejo. Fica a meia dúzia de quilómetros de Alpiarça, junto à aldeia avieira abandonada do Patacão, e é paixão à primeira vista.

 

Comodidades: areia.

21 Patacão 3.jpg

20 Patacão 2.jpg

19 Patacão 1.jpg

 

PEGO

 

Pequena e mais piscina do que propriamente praia, está situada num local fascinante: o Parque Icnológico de Penha Garcia, que faz parte do Geopark Naturtejo. Podem ler mais sobre Penha Garcia no roteiro já aqui publicado Histórias da água e da pedra na Beira Baixa. A água vem do rio Pônsul, refreado a montante por uma barragem, e aqui é apenas um ribeiro que cai em cascata para alimentar a piscina. A paisagem em volta é mesmerizante, com paredes rochosas que sobem quase a pique na direcção do céu e ensombram o vale quando a tarde cai, trazendo ao lugar uma frescura sempre bem vinda no Verão.

 

Comodidades: percurso pedestre; parque icnológico.

22 Penha Garcia 1.jpeg

24 Penha Garcia 3.jpeg

23 Penha Garcia 2.jpeg

 

PONTE VELHA - CABREIRA

 

Ligeiramente afastado da aldeia da Cabreira, que pertence ao concelho de Góis, encontra-se o Lagar de Varas, construído em 1876 e provavelmente o único lagar de azeite deste género que se encontra actualmente em funcionamento no nosso país. As várias casinhas de xisto, recuperadas em meados do século passado, são o cenário para uma das mais idílicas praias fluviais do nosso país: uma piscina natural de águas paradas que depois escorregam em catadupa num declive, para irem a seguir passar por baixo de uma ponte medieval. As árvores acompanham a orla do rio, e há uma rampa para entrar na água. Com um pouco de sorte, haverá também alguma tranquilidade para usufruir da paisagem e passar umas horas bem agradáveis.

 

Comodidades: estacionamento (muito pequeno); grelha para churrascos.

 

25 Ponte Velha 1.JPG

26 Ponte Velha 2.JPG

27 Ponte Velha 3.JPG

 

***

 

Mesmo fora dos meses mais quentes, estas praias fluviais são lugares de excepção para passear ou fazer um piquenique, e sempre um óptimo motivo para sair de casa e ir conhecer mais alguma região de Portugal.

 

Bons passeios!

 

(Este artigo foi publicado pela primeira vez no website Fantastic)

 

Já seguem o Viajar Porque Sim no Instagram? É só clicar aqui

 

Guardar no Pinterest

9 praias fluviais para um Verão mais fresco

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.