Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Viajar. Porque sim.

Paixão por viagens, escrita e fotografia

Viajar. Porque sim.

Paixão por viagens, escrita e fotografia

Um ano em paisagens

 

Quando há um ano me perguntavam que viagens tinha eu planeadas para 2017, a minha resposta era invariavelmente a mesma: não tinha planos nenhuns, mas em princípio não poderia viajar muito, pois aproximava-se uma despesa grande que iria causar um rombo sério nas minhas finanças; portanto, as expectativas eram reduzidas.

 

Só que… pela boca morre o peixe, que é como quem diz mais valia ter estado calada: 2017 acabou por ser o ano em que mais viajei em toda a minha vida – a pé, de carro, de avião, de comboio, em Portugal e fora do país, nunca como este ano passei tanto tempo a viajar e passear. Mais uma prova de que a vida está sempre a trocar-nos as voltas.

 

“Como foi possível?”, estão vocês a perguntar. Pois com bastante pesquisa, algum planeamento e muita contenção orçamental; além de sorte, muita sorte por ter à minha volta pessoas que também gostam de viajar e me puxam (ou alinham comigo) para estas andanças.

 

Com o desafio do Sapo Blogs para partilharmos as paisagens que mais nos marcaram em 2017 surgiu-me a ideia de fazer um balanço deste meu quase frenético ano de viagens. De alguns destes lugares já falei aqui no blogue, de outros nem tanto, não por não merecerem mas porque o tempo não estica – embora possam pensar que não, trabalho a tempo inteiro numa empresa, por vezes tenho outros trabalhos extra para fazer em casa, e participo activamente na produção de uma revista online bimestral (a Inominável). Dava-me realmente jeito que os dias fossem mais compridos. Ou que eu não precisasse de dormir. Ou as duas coisas, melhor ainda.

 

Dizia eu que achei por bem fazer um resumo das minhas viagens durante este ano. Santa ingenuidade… Resumir tantos quilómetros percorridos, tantas horas bem passadas, tantos lugares fantásticos que conheci ou revi, e sobretudo escolher de cada um deles uma – só uma! – mísera fotografia (entre as milhares que tirei) é uma tarefa quase impossível que não sei como vou levar a bom porto. Mas vou tentar.

 

JANEIRO

 

O ano começou calmamente, como de resto era minha intenção. Numa tarde fria mas solarenga, convidaram-me a ir conhecer o Parque Linear Ribeirinho do Estuário do Tejo, ali para os lados da Póvoa de Santa Iria, de que já falei neste post. No que toca a paisagens de encher o olho e a alma, foi uma boa maneira de iniciar as andanças de 2017 – já a prometer o que seria o resto do ano.

 

Parque Linear Ribeirinho do Estuário do Tejo.JPG

 

FEVEREIRO

 

A tranquilidade manteve-se durante mais uns tempos. Fevereiro foi relativamente pacato – para mim, mas não para o mar, que andou muito agitado na costa portuguesa. Pretexto para mais uma tarde passada a caminhar, desta vez no Passeio Marítimo entre São João do Estoril e Cascais, e a apreciar o espectáculo das ondas a quererem tomar de assalto o paredão.

Passeio marítimo Estoril-Cascais.JPG

 

MARÇO

 

O bom tempo chegou cedo este ano. Ainda a Primavera não tinha começado e os dias já estavam cheios de sol e a pedir passeios mais longos. Foi a altura ideal para ir conhecer a aldeia de Drave, onde só é possível chegar a pé. Apesar de desabitada há bastantes anos, continua a ser um lugar lindo e cheio de magia, e uma das nossas aldeias mais bonitas (dela e de outras falei aqui).

 

Itinerário do passeio (1 dia):

Drave – Portal do Inferno – Aldeia da Pena – Serra de São Macário – Termas de São Pedro do Sul

 

Drave.JPG

Drave

 

Portal do Inferno.JPG

 Portal do Inferno

 

Serra de São Macário.jpg

 Serra de São Macário

 

ABRIL

 

Este foi o mês em que o sossego, definitivamente, terminou. Primeiro foi um fim-de-semana bem preenchido com uma viagem de carro ao Piódão, depois quatro dias em Paris para ir à Disneyland, e no final mais um passeio de carro.

 

Itinerário do passeio (2 dias):

Dia 1 - Góis – Cabreira – Candosa – Colmeal – Mata da Margaraça – Fraga da Pena – Piódão

Góis.jpg

Góis

Cabreira.JPG

 Cabreira

Sobre as aldeias da região de Góis, que meses depois se viram ameaçadas pelo incêndio de Pedrógão, também falei neste post.

Fraga da Pena.JPG

 Fraga da Pena

Piódão.JPG

 Piódão

 

Dia 2 - Foz d’Égua (percurso pedestre desde o Piódão) – Poço da Broca – Centum Cellas – Sortelha – ruínas de Águas de Radium 

Percurso Piódão-Foz d'Égua.JPG

Percurso Piódão - Foz 'Égua

 

Poço da Broca.JPG

 Poço da Broca

 

Ruínas de Águas de Radium.JPG

Ruínas de Águas de Radium

 

Itinerário do passeio (1 dia): nascente do Almonda – Grutas de Mira d’Aire – Pia do Urso – Castelo de Porto de Mós – Marinhas de Sal de Rio Maior

Nascente do Almonda.jpg

Falei aqui sobre a meio abandonada e quase desconhecida nascente do Almonda.

 

Marinhas de sal de Rio Maior.JPG

Marinhas de sal de Rio Maior

 

MAIO

 

Em Maio rumei até ao Alto Alentejo para mais um fim-de-semana a revisitar lugares já conhecidos e descobrir outros novos.

 

Itinerário do passeio (2 dias):

Dia 1 - ponte romana de Vila Formosa (Alter do Chão) – Cabeço de Vide – Marco – Marvão

Ponte romana de Vila Formosa.JPG

Ponte romana de Vila Formosa

Também escrevi aqui sobre a ponte romana de Vila Formosa, um local bonito e muito tranquilo, e aqui sobre a pequeníssima ponte que na aldeia do Marco une Portugal e Espanha e é a ponte internacional mais pequena do mundo. 

Antiga estação de caminhos-de-ferro de Cabeço d

Antiga estação de caminho-de-ferro de Cabeço de Vide

 

Marvão.JPG

Marvão

 

Dia 2 - Castelo de Vide – estrada de Portagem – ruínas da cidade romana de Ammaia – Flor da Rosa (Crato)

 

Castelo de Vide.JPG

 Castelo de Vide

 

Estrada de Portagem.JPG

 Estrada de Portagem

 

JUNHO

 

Junho, mês dos dias grandes e de férias, abriu com chave de ouro com uma viagem de uma semana aos Açores. Já aqui falei dos dias que passei no Corvo e nas Flores (vários posts seguidos, de que o primeiro está aqui), e também da breve mas recheada visita à colorida Angra do Heroísmo, na Terceira.

Caldeirão do Corvo.jpg

Caldeirão do Corvo

 

Lagoa Funda, Flores (1).JPG

Lagoa Funda (Flores)

 

Angra do Heroísmo.jpg

Angra do Heroísmo

 

Com um curto intervalo de pouco mais de 24 horas (os preciosos dias de férias têm de ser aproveitados quase ao minuto…), voltei a entrar num avião para uma viagem de 5 dias a Veneza – de que gostei muito mais do que esperava. Em tempos denominada Sereníssima, o número diabólico de turistas que recebe actualmente roubou-lhe a tranquilidade e trouxe-lhe problemas acrescidos, mas o seu charme continua a conquistar corações – incluindo o meu (podem ler e ver mais sobre esta minha visita aqui).

Veneza.jpg

Veneza

 

Burano.JPG

Burano

 

 

JULHO

 

Por pura coincidência, este foi o mês dedicado aos comboios históricos portugueses, com um fim-de-semana na Régua para fazer a viagem a bordo do Comboio Histórico do Douro, e outro em Aveiro para viajar no Comboio Histórico do Vouga.

 

Itinerário do passeio (2 dias):

Dia 1 - São Leonardo da Galafura – Covelinhas – Comboio Histórico do Douro (paragens no Pinhão e em Tua) – Régua

Dia 2 - Solar de Mateus (Vila Real) – Santuário Romano de Panóias – Amarante

 

Rio Douro.jpg

Rio Douro

 

Amarante.JPG

 Amarante

 

Itinerário do passeio (2 dias):

Dia 1 - Comboio Histórico do Vouga (paragens em Macinhata do Vouga e Águeda)

Dia 2 - Aveiro – Igreja de Válega – Ul – Pateira de Fermentelos

 

Águeda.jpg

Águeda

 

Aveiro.jpg

 Aveiro

Pateira de Fermentelos.JPG

Pateira de Fermentelos

 

 

 AGOSTO

 

No mês em que o país todo vai a banhos, eu prefiro ficar a trabalhar e saio pouco – há demasiada gente em quase todo o lado. Este ano não foi excepção e apenas fui até à Lourinhã para ver o Museu e os dinossauros expostos nas ruas, antes de mudarem de casa. Deste passeio falei num post que podem encontrar aqui.

 

Lourinhã.jpg

 

OUTUBRO

 

Depois de um período de trabalho intenso (e de também intensas preparações para férias), Outubro foi mais um mês em que quase não parei em casa. Onze dias em Marrocos (de que falo num artigo publicado na revista Inominável n.º 11, que acabou de sair ), e logo a seguir mais uma viagem de carro para assistir à festa de sexta-feira 13 em Montalegre, que prolongámos até Bilbau e San Juan de Gaztelugatxe.

 

Itinerário da viagem em Marrocos (11 dias):

Dia 1 - Lisboa – Marraquexe

Dia 2 - Marraquexe

Dia 3 - Télouet – Ksar de Ait Ben-Haddou – Ouarzazate

Dia 4 - Boumalne Dadès – Gargantas do Toghra – Ouarzazate

Dia 5 - Merzouga – Ouled Aissa

Dia 6 - Errachidia – Timahdite – Azrou – Fez

Dia 7 - Fez

Dia 8 - Meknès – Volubilis – Chefchaouen

Dia 9 - Chefchaouen

Dia 10 - Chefchaouen – Marraquexe

Dia 11 - Marraquexe – Lisboa

 

Télouet.jpg

Télouet

 

Ksar de Ait-Ben-Haddou.jpg

Ksar de Ait-Ben-Haddou

 

Merzouga.jpg

Merzouga

 

Chefchaouen.jpg

Chefchaouen

 

 

Itinerário da viagem a Montalegre e Bilbau (5 dias):

Dia 1 - Vidago – Boticas – Montalegre – Pitões das Júnias

Dia 2 - Vilarinho de Negrões – Alturas de Barroso – Vilarinho Seco – Montalegre – Serra do Larouco – Chaves

Dia 3 - Balcóns de Madrid (Parada de Sil) – Ponferrada – Bilbau

Dia 4 - San Juan de Gaztelugatxe – Mundaka – Bilbau

Dia 5 - Tordesilhas – Almeida

Serra do Larouco.JPG

Serra do Larouco

 

Balcóns de Madrid (Parada de Sil).jpg

Balcóns de Madrid (Parada de Sil)

 

Bilbau.jpg

Bilbau

 

San Juan de Gaztelugatxe.JPG

San Juan de Gaztelugatxe

 

 

NOVEMBRO

 

A fechar da melhor maneira as minhas viagens deste ano (e porque não prevejo fazer mais nenhuma até ao final de Dezembro), festejei o meu aniversário num fim-de-semana comprido em Londres, onde o Natal já começou há muito tempo – foi precisamente este o tema do meu penúltimo post.

 

Kyoto Garden (Londres).JPG

Kyoto Garden (Londres)

 

 

E já está a chegar ao fim mais um ano, que passou num ápice. Um ano com muito trabalho, mas também com muita animação e muitos dias passados a viajar, a conhecer lugares novos e outras culturas, a revisitar lugares onde já não ia há algum ou muito tempo, e que me parecem sempre diferentes a cada visita. Um ano de paisagens de encher os olhos e guardar na alma e na memória – e tantas, tantas vezes uma simples paisagem chega para me fazer feliz.

 

O que será que 2018 me reserva?

   

 

Partilhar no Pinterest

 

 

Um ano em paisagens.jpg