Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Viajar. Porque sim.

Paixão por viagens, escrita e fotografia

Viajar. Porque sim.

Paixão por viagens, escrita e fotografia

As praias da Costa Smeralda - parte III

 

Areia fina e quase branca e um mar azul-azul e tão tranquilo… a Costa Smeralda é por vezes comparada às Caraíbas – e fica aqui bem mais perto de nós. Estas são as minhas quatro praias favoritas.

 

#4 Porto Liscia

29 Praia Porto Liscia.JPG

Também situada na língua de areia que une a Isola dei Gabbiani ao continente, do lado oposto à praia de Porto Pollo, encontramos a praia de Porto Liscia. Maior mas apesar de tudo menos ventosa nalguns pontos do que a sua vizinha, está protegida por dunas baixas e forma uma comprida meia-lua arenosa que nunca fica muito cheia de gente. Aqui pratica-se paddling e, num dos extremos, kitesurf. Mesmo assim, é uma praia tranquila onde o mar, a terra e a vegetação se encontram em harmonia absoluta.

 

30 Praia Porto Liscia.JPG

 

31 Praia Porto Liscia.JPG

 

#3 Rena Bianca

33 Praia Rena Bianca (Portisco).JPG

A praia Rena Bianca, junto a Portisco, tem uma areia branquíssima e uma vista de cortar a respiração para o golfo de Cugnana, onde a visão de grandes iates e veleiros é uma constante. Além de estar bem servida de estruturas de apoio e ter um bom parque de estacionamento, é uma praia abrigada ideal para os dias em que o vento sopra um pouco mais forte. E sem dúvida uma das minhas preferidas.

32 Praia Rena Bianca (Portisco).JPG

 

34 Praia Rena Bianca (Portisco).JPG

 

35 Praia Rena Bianca (Portisco).JPG

 

 

#2 Cala Capriccioli

1 Costa Smeralda.JPG

A Cala Capriccioli é um encanto de praia. Pequena e graciosa, com uma belíssima vista e encastrada entre grupos de rochas, tem muito espaço para estacionar e é bastante abrigada, o que a torna particularmente atractiva para os grupos familiares. Por essa razão, enche-se rapidamente de gente e nem sempre é fácil encontrar lugar para estender a toalha. Apesar disso, é uma das praias de que mais gostei, talvez pelas suas formações rochosas suaves e arredondadas, algumas emergindo no meio da água, e muito apreciadas pelos corvos-marinhos para os seus banhos de sol.

36 Praia Capriccioli.JPG

 

37 Praia Capriccioli.JPG

 

38 Praia Capriccioli.JPG

 

39 Praia Capriccioli.JPG

 

40 Praia Capriccioli.jpg

 

 

#1 Cala Brandinchi

41 Cala Brandinchi.JPG

A jóia da coroa das praias da Costa Smeralda é sem sombra de dúvida a Cala Brandinchi. Situada no distrito de San Teodoro, na zona do Cabo Coda Cavallo, é conhecida como “a pequena Taiti”. E na verdade, se nos abstrairmos do facto de estarmos na Europa, ficamos com a impressão de que estamos numa ilha remota e paradisíaca. Uma praia longa em forma de meia-lua, rodeada de pinheiros, com areia muito fininha e a água mais tranquila e transparente que é possível imaginar. Há parque de merendas no pinhal, ideal como abrigo nas horas mais quentes, e um snack-bar com uma enorme zona de relva e mesas protegidas por simpáticos chapéus-de-sol. O único senão é o facto de o acesso à praia ser pago (por hora de estacionamento, e não é propriamente barato). Todas as estradas de acesso são privadas e existe uma única entrada para veículos, com cancela, a cerca de quilómetro e meio de distância. E para ir a pé, o local mais próximo onde é possível estacionar fica a quase dois quilómetros. Mas é caso para dizer que vale bem a pena gastar alguns euros para passar umas horas no paraíso.

 

42 Cala Brandinchi.JPG

 

43 Cala Brandinchi.JPG

 

44 Cala Brandinchi.JPG

 

45 Cala Brandinchi.JPG

 

46 Cala Brandinchi.JPG

 

47 Cala Brandinchi.JPG

 

O carácter quase exclusivo da Costa Smeralda durante várias décadas terá sem dúvida contribuído para a preservação do seu meio ambiente privilegiado e da sua beleza selvagem. O que prova que é possível manter o equilíbrio ambiental e a qualidade da oferta mesmo em áreas de turismo intensivo. Para desfrutarmos em pleno desta linda região e das suas praias, nem que seja apenas uma vez na vida.

 

 

Porto Cervo, o luxo discreto→

 

←As praias da Costa Smeralda - parte II

 

(Artigo publicado na Revista Inominável #4)

 

7 comentários

Comentar post