Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Viajar. Porque sim.

Paixão por viagens, escrita e fotografia

Viajar. Porque sim.

Paixão por viagens, escrita e fotografia

A ver dinossauros na Lourinhã

 

A Lourinhã está diferente. Já lá não ia há um ror de anos. Quer dizer… não é que eu alguma vez lá tivesse realmente “ido”… Até há uns anos a Lourinhã não era propriamente um sítio onde se fosse, a não ser em trabalho ou visitar alguém. Passava-se lá e até se podia parar para tomar um café, mas não havia realmente graaaaandes motivos ir à Lourinhã…

 

Bom, mas anteontem fui realmente à Lourinhã, e de propósito. A culpa, claro, foi dos dinossauros.

 

Lourinhã (30).JPG

 

Apesar de situada numa zona que se sabe ser habitada desde o Paleolítico, a Lourinhã só saltou para as primeiras páginas dos jornais quando em 1993 foram encontrados, na praia de Paimogo, os maiores e mais antigos ninhos com embriões de dinossauros conhecidos até então. Mais recentemente, em 2009, encontrou-se na praia do Porto das Barcas um ninho com embriões de Torvossauro – um achado único no mundo, pois até então só tinham sido descobertos embriões de dinossauros herbívoros, e o Torvossauro foi um dinossauro carnívoro. Depois, em 2012 e também em Paimogo, foram encontrados os ovos de crocodilo (fossilizados, evidentemente) mais antigos do mundo: 150 milhões de anos. Tudo isto veio mostrar que a região da Lourinhã é muitíssimo rica em fósseis do Jurássico Superior e tornou-a numa referência da paleontologia mundial.

 

Lourinhã (38).JPG

 

Já há vários anos que a autarquia local tentava pôr em prática a ideia de um parque dedicado à temática dos dinossauros, mas só agora está a ser possível concretizá-la. Em parceria com a empresa alemã que opera o museu de dinossauros ao ar livre de Münchehagen, na Alemanha, está a ser construído no território do município, mais precisamente perto da aldeia da Abelheira, o Parque dos Dinossauros da Lourinhã, com abertura prevista para 2018. Neste Parque irão ser expostas mais de 120 réplicas de dinossauros, realistas e cientificamente correctas, e haverá um edifício central dotado de um laboratório científico e de um museu – que irá abrigar os achados de dinossauros que estão actualmente expostos no Museu da Lourinhã.

 

Lourinhã (41).JPG

 

Em jeito de “aperitivo”, estão desde há algum tempo expostos na Lourinhã vários modelos de dinossauros que irão mais tarde povoar o Parque. Descobri-los não é difícil, pois são suficientemente grandes para serem detectados de longe; e é extremamente divertido vê-los coabitarem com alguns dos edifícios mais emblemáticos da vila – como é o caso do enorme T-Rex que nos saúda dentro de uma moldura avermelhada à entrada da Câmara Municipal, ou do Stegosaurus colocado na rotunda em frente à alvíssima Igreja do Convento de Santo António. 

Lourinhã (40).JPG

Lourinhã (20).JPG

Neste momento são 19 os bicharocos espalhados pela Lourinhã, cada um deles devidamente identificado com uma placa informativa. O Museu disponibiliza folhetos com o mapa da localização de todos os “bichinhos”.

Lourinhã (33).JPG

 

Lourinhã (34).JPG

 

Lourinhã (1).JPG

 

Lourinhã (4).JPG

 

Lourinhã (5).JPG

 

Lourinhã (6).JPG

 

Lourinhã (21).JPG

 

Lourinhã (23).JPG

 

Lourinhã (28).JPG

 

Lourinhã (31).JPG

 

Lourinhã (35).JPG

 

Lourinhã (36).JPG

 

Falando do Museu, é mais um local a visitar obrigatoriamente. Além do edifício que abriga os achados paleontológicos (originais uns, outros excelentes réplicas), o Museu tem duas outras vertentes: a arqueológica, que expõe os vestígios da ocupação humana do território desde a pré-história (com particular ênfase para uma engraçada estátua-menir encontrada em 1981 na freguesia do Reguengo Grande); e a etnográfica, com um excelente acervo de objectos e documentos que ilustram profissões antigas, exposto de forma bem organizada e agradável, e a reconstituição de uma casa saloia, entre mais alguns motivos de interesse. Aberto desde 1984, o Museu tem vindo a crescer e a aumentar de popularidade – e de tal maneira que actualmente, como nos confessou uma simpática funcionária, dia em que tenham menos de 300 visitantes é considerado um dia “fraco”. Encontram mais informações úteis no site oficial do Museu da Lourinhã.

 

Lourinhã (7).JPG

 

Lourinhã (8).JPG

 

Lourinhã (9).JPG

 

Lourinhã (10).JPG

 

Lourinhã (11).JPG

 

Lourinhã (12).JPG

 

Lourinhã (13).JPG

 

Lourinhã (14).JPG

 

Lourinhã (15).JPG

 

Lourinhã (16).JPG

 

Lourinhã (17).JPG

 

Lourinhã (18).JPG

 

Lourinhã (19).JPG

 

A Lourinhã está mesmo diferente: mais simpática, mais alegre, mais divertida. Por causa dos dinossauros, mas não só. Sugiro que vão até lá ver com os vossos próprios olhos. De certeza que não vão dar o vosso tempo por mal empregue.

 

Lourinhã (37).JPG

 

Lourinhã (39).JPG

 

Lourinhã (2).JPG

 

Lourinhã (3).JPG

 

Lourinhã (22).JPG

 

Lourinhã (24).JPG

 

Lourinhã (25).JPG

 

Lourinhã (26).JPG

 

Lourinhã (27).JPG

 

Partilhar no Pinterest

A ver dinossauros na Lourinhã.jpg

 

10 comentários

Comentar post