Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Viajar. Porque sim.

Paixão por viagens, escrita e fotografia

Viajar. Porque sim.

Paixão por viagens, escrita e fotografia

A Grécia em destaque

De repente, no sossego deste domingo, a minha caixa de email começou a encher-se de comentários ao meu último post sobre Santorini, e eu achei estranho (o post já tem uma semana…), e sobretudo comentários de bloggers que não “conheço”, e eu a achar mais estranho ainda, e de repente pensei: só pode ser um destaque!

E fui à página principal do SAPO Blogs (desculpem-me, ainda lá não tinha ido hoje porque estive a acabar de ler um livro e já estou ocupada com o próximo post do meu blog Gene de Traça) e é mesmo verdade:

Destaque Santorini recorte.jpg

 

Obrigada, SAPO Blogs, vocês são uns queridos! Depois do grande elogio do Verão passado que me fizeram ao incluírem o meu Diário de viagem à Costa Rica (o primeiro post foi este) nas vossas sugestões de blogues sobre férias, agora veio mais este – e logo com honras de grande destaque.

É verdade que a Grécia tem andado nas bocas do mundo, e não pelas melhores razões. Mas um país não se resume aos seus problemas político-económicos, nem a sua qualidade se mede pelas classificações das agências de rating.

Atenas (431).JPG

 Atenas

Atenas-vista a partir da Acrópole-Templo de Zeus  Atenas

 

A qualidade de um país tem a ver com a sua geografia e a sua paisagem (a natural e a construída), com o seu clima, com as pessoas que o habitam, com tudo aquilo que oferece a quem lá vive e a quem o visita. E a qualidade da Grécia, pelo menos para quem a visita, está muitos, muitos furos acima da ideia que nos é transmitida pelas notícias diárias.

A Grécia enfrenta os mesmos problemas que nós em Portugal. E os gregos têm a noção disso, bem mais do que nós temos em relação a eles. Quando lá estive, sempre que nos perguntavam de onde éramos e respondíamos que éramos de Portugal, a reacção era um sorriso, um abrir de braços, uma expressão de alegria e de compreensão. Mais do que uma vez nos disseram: “Vocês são como nós. Portugueses e gregos são iguais, somos irmãos”.

Por estranho que pareça, foi precisamente isso que senti durante todo o tempo em que lá estive.

2 comentários

Comentar post